E-commerce: como lidar com picos de acessos no fim do ano


Relatório traz cinco indicações para que empresas passem o período de compras sem impactos negativos para os usuários

É inevitável: no fim do ano, quase todas as empresas que lidam diretamente com vendas de produtos para o varejo
passam aperto – seja pela demanda elevada na entrega, seja pela necessidade de contratação temporária. No e-commerce, não é diferente. Talvez, seja uma situação ainda mais difícil, já que o negócio está baseado em uma estrutura eletrônica, e as máquinas também são limitadas em número de acessos, carga etc.

A Compuware apresentou hoje cinco recomendações às empresas de e-commerce para melhorar o desempenho de plataformas web e mobile para o restante da temporada de compras de 2011. Essas recomendações estão incluídas em um novo relatório que analisou a satisfação estimada dos clientes dos principais sites de vendas americanos durante a Black Friday e o fim de semana seguinte.

O relatório concluiu que mesmo com meses de preparações, 86% dos 50 maiores sites do segmento nos Estados Unidos observaram uma redução na satisfação de seus clientes quando comparado o período com a média geral. Além disso, muitas lojas viram o tempo de carregamento de suas páginas superar os 10 segundos, muito aquém da expectativa de usuários. Cada segundo adicional de atraso pode trazer milhões de dólares em vendas perdidas. “Isso também foi notado nos sites brasileiros que participaram do Black Friday”, comenta Takahiko Yoshida, Vice-Presidente da Compuware para a América Latina. “Mesmo se um site continuar no ar por todo o período, outros problemas além da indisponibilidade podem trazer prejuízos, principalmente o baixo desempenho e a demora ao carregar páginas. Se um cliente não consegue concluir uma compra, a maior perda sofrida pela loja é da confiança de seus clientes”, completa.

A empresa criou uma lista de recomendações com base nos sites de melhor e pior desempenho para ajudar lojas online que estão com problemas a tornarem-se mais ágeis e competitivas:

1.Conteúdo proveniente de terceiros: Conteúdo externo como anúncios, plugins de sites de relacionamento, imagens e outros é necessário. Mas verifique se ele traz impactos negativos ao desempenho e se há alguma alternativa a utilizá-lo dessa forma.

2.Conteúdo controlado por você: Cheque o tamanho do conteúdo que você fornece e a quantidade de recursos que disponibiliza por tipo. Reduza imagens onde for possível, combine e comprima arquivos de texto como HTML, Javascript e CSS para reduzir tempo de download e redundâncias.

3.Execução de seus Javasripts: Javascript é uma grande fonte de problemas de desempenho. Utilize sempre bibliotecas e codificação atualizadas. Analise o impacto do seu Javascript nos principais browsers, não apenas nos que usa para o desenvolvimento.

4. Configurações de redirecionamento: Muitos sites ainda usam uma série de redirecionamentos de URL antes mesmo que a primeira página HTML seja mostrada ao usuário. Uma boa configuração desses processos evita redundâncias, elimina a exibição de páginas em branco para o usuário e acelera o carregamento da página.

5. Desempenho de processos no seu próprio servidor: Páginas dinâmicas como as que contêm detalhes referentes à geografia, carrinho de compras, busca de produto e página de resultados necessitam de processamento por parte do seu servidor. Se ele se sobrecarregar com muitas solicitações e as aplicações não souberem administrar pedidos de forma apropriada, problemas de desempenho podem causar atrasos no carregamento de páginas.

“Alguns dos sites com melhor desempenho no período conseguiram se aproveitar do aumento no tráfego ao dar para seus clientes boas experiências de compras. Infelizmente, uma grande parte dos sites não foram bem sucedidos em capturar o potencial dessa época”, comentou John Van Siclen, Gerente Geral da unidade de negócios de Gerenciamento de Desempenho de Aplicações da Compuware. “Mesmo assim, ainda há tempo para que eles programem melhores práticas para potencializar o desempenho de seus sites para aproveitar o que resta da temporada de compras de fim de ano”.

Uma das boas descobertas desse relatório é que enquanto a maioria dos sites não alcançou um bom desempenho com consumidores web, a maioria estava bem preparada para atender a demanda de clientes que acessaram seus sistemas via smartphones e outros aparelhos portáteis. Esse tipo de plataforma viu uma melhora no desempenho de dois dígitos na maioria dos sites. Os resultados completos contarão com o monitoramento desses sites por todo o mês de dezembro e serão disponibilizados em janeiro de 2012.

,

  1. Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: