Licenciamento de software, simples ou complicado?


Este é um assunto que está ligado diretamente a todos da área de TI (Tecnologia da Informação) e que poucos dominam, principalmente os tomadores de decisões dentro das organizações. Ainda há resistência por parte das empresas quando se fala em soluções de TI, pois para muitas, isto implica em custos, o que na verdade deve ser tratado como investimento. Mas felizmente essa teoria vem mudando nos últimos anos e, cada dia mais, as empresas vêm se dando conta de que dependem muito dos recursos de TI. Quanto mais atualizada com seus recursos, mais produtividade para seu negócio.

É comum, os gestores atribuírem a não utilização do software original, apenas a implicação de multas, o que está errado. Além do risco de fiscalização, a empresa que mantém seu parque de TI devidamente legalizado, usufrui dos benefícios dos softwares originais como atualizações do produto, pacotes de segurança, dentre outros, obtendo melhor desempenho e maior produtividade em sua rede de dados.

Existem alguns erros comumente cometidos pelas equipes de TI que  podem ser minimizados. Os profissionais de TI dentro das empresas são os formadores de opinião para que os diretores tomem as decisões acerca de licenciamento. Muitas vezes, por falta de uma assessoria adequada, acabam pagando mais do que deveriam. Nem sempre, adquirem as melhores opções com relação custo x benefício e, muitas vezes, permanecem com irregularidades no processo de licenciamento. Portanto, a ajuda de uma empresa
qualificada faz com que as organizações obtenham melhores resultados e aumentem seu desempenho na área de TI, podendo focar no negócio e minimizar a preocupação com este setor.

Um ponto importante a ser tocado, é sobre o percentual médio de TI gasto pelas empresas. Acredito que o percentual de investimento seja diretamente proporcional ao porte da empresa em equipamentos. A maior parte investe em média 3% do seu faturamento neste setor. As que mais investem são aquelas que possuem mais equipamentos, mas não necessariamente as que possuem maior número de profissionais de TI. Outro fator que influencia nos investimentos é o ramo de atividade, como no caso de desenvolvedoras de software, que dependem de uma estrutura adequada para o seu desenvolvimento e crescimento.

Como o meu foco é totalmente voltado para soluções Microsoft, vou fazer um breve comentário sobre as formas básicas de licenciamento. Para cada produto Microsoft existem diferentes formas de licenciar. A Microsoft divide a aquisição dos produtos basicamente em três pilares: OEM (Original Equipment Manufacturer) que é a licença integrada no equipamento e direcionada para todos os públicos. FPP (Full Packaged Product) que é a licença completa na caixa com as mídias e a chave de ativação, também para uso doméstico e corporativo. Finalmente, temos as licenças por volume que são direcionadas exclusivamente para empresas e concedem preços bastante diferenciados com relação às licenças de varejo, podendo ser adquiridas juntamente com o (Software Assurance) seguro do software.

Fonte: Tiespecialistas

, ,

  1. Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: